03 de June de 2015 Varejo

CVC compra varejista alemã de perfumaria e cosméticos


Grupo de private equity CVC Capital Partners esta para comprar a varejista de perfumes e cosméticos Douglas da empresa de buyout US Advento, apostando em uma expansão lucrativa da cadeia.

A empresa de varejo alemão tinha anunciado planos para uma oferta pública inicial na semana passada, mas depois de uma oferta atualizada da CVC no fim de semana, ela disse que tinha decidido que este investimento era melhor opção para a empresa.

"Um IPO teria sido uma opção interessante, mas apenas a segunda melhor para a empresa", disse o presidente-executivo Henning Kreke, que continuará em seu papel, na segunda-feira. Ele disse que a família fundadora Kreke continuaria a ser uma acionista minoritário com uma participação de 15 por cento.

As partes concordaram em não divulgar o preço de compra, mas uma pessoa familiarizada com o assunto disse à agência Reuters que o valor era próximo a 3 bilhões de euros.

A Douglas, que tem cerca de 1.700 lojas de varejo na Europa que vendem perfume, xampu e maquiagem, retirou-se da bolsa de Frankfurt, há dois anos, quando a Advent e a família Kreke compraram a cadeia deficitária.

Desde que se tornou empresa privada, o objetivo da Douglas tem sido o de se tornar a maior varejista de perfumes da Europa, comprando a cadeia de perfumaria francesa Nocibé e vendendo suas lojas de confeitaria.
Sob a nova administração, o varejista alemã planeja expandir ainda mais internacionalmente.

"A Douglas tem a força para se tornar uma marca global e nós vamos estar de olho  em oportunidades de crescimento fora do mercado europeu", disse Kreke.

A aquisição não inclui a livraria  Thalia e a varejista de moda AppelrathCuepper.
A CVC está familiarizada com o sector, tendo comprado uma participação majoritária na Matas, maior varejista de saúde e beleza da Dinamarca em 2007 e a CVC a tornou pública em 2013.

A Douglas registrou vendas de cerca de 1,5 bilhões de euros e lucro ajustado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) de cerca de 180 milhões de euros no primeiro semestre de seu ano fiscal de 2014/15.

 

Notícias Relacionadas