25 de November de 2011 Comportamento

Pesquisa aponta preferências dos brasileiros para mãos e pés


                          


O mercado de beleza brasileiro vive o boom dos esmaltes. O segmento cresceu mais de 30% em 2010 e a indústria segue apresentando novidades.

Para entender como pensam homens e mulheres no Brasil sobre os cuidados com mãos e pés, o Instituto TNS e a Mundial Impala, empresa líder no segmento manicure, realizaram uma pesquisa inédita com 600 entrevistados das classes ABC em São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Salvador, Curitiba e Porto Alegre. Os resultados são curiosos e mostram que há uma forte tendência de crescimento para este mercado no país.
 
Cuidados

A pesquisa revela que 56% das brasileiras fazem as unhas todas as semanas. Entre os homens, 35% dos homens afirmam fazer as unhas no mínimo a cada 15 dias. 38% das mulheres freqüentam a manicure e 21% dos homens também. Em relação aos cuidados com os pés a pesquisa mostrou que os homens brasileiros têm uma certa preocupação com os pés: 20% dos homens usam cremes hidratantes na região pelo menos uma vez ao dia, 28% afirmam lixar as solas dos pés e 14% passam esfoliante. Tudo pela tão propagada sensualidade brasileira..

Esmaltação

Em relação aos esmaltes, 80% das brasileiras esmaltam as unhas pelo menos uma vez por semana, entre elas 14% afirmam esmaltar duas vezes por semana. Dois dias é o prazo máximo que as brasileiras conseguem ficar sem as unhas esmaltadas. Entre as consumidoras mais jovens (de 16 a 19 anos), 29% esmaltam as unhas duas vezes por semana, 40% delas combinam a cor do esmalte com as roupas que estão usando e 25% preferem as cores inovadoras como azul, verde ou amarelo.
                             

O humor é apontado como fator determinante na hora da escolha da cor do esmalte por 52% das entrevistadas. Oitenta e dois por cento das mulheres não se importa com a opinião masculina na hora da escolha, porém a estação do ano influencia 44% das mulheres. Os tons de vermelho, preto, marrom e cinza são mais escolhidos no inverno por 77% das entrevistadas.

Os tons pasteis são considerados chique por 50% das brasileiras, 27% delas acham as cores da moda (azul, verde) bem humoradas, 55% acham os tons de vermelho e ameixa atraentes e 25% consideram bem-humorados tons incomuns como amarelo e flúor.

Situações e escolhas

Quando o assunto é o primeiro encontro, 48% preferem os tons pasteis, enquanto 49% preferem os vermelhos. Para namorar, 63% das mulheres preferem os tons de vermelho. Já para conhecer a sogra, 68% das mulheres preferem tons pastéis. Na entrevista de emprego, 95% escolhem os tons pasteis. O placar muda quando é hora de se divertir. Os vermelhos são escolhidos por 45% de quem vai sair à noite, 47% também preferem os tons de vermelho para festas formais como as de casamento. Vermelho é fetiche, diz o ditado popular. Assim, 10% das brasileiras esmaltam os pés de vermelho quando querem seduzir.

Opinião Masculina                          

Sessenta e sete por cento dos homens reparam nas mãos e pés femininos. Para 46% deles é muito importante que as unhas estejam esmaltadas. Em relação às cores, 41% deles acham os tons pasteis sem graça ou são indiferentes à escolha, mas vinte por cento deles acham ousados os tons da moda, como azul e verde e  35% consideram os vermelhos atraentes.

Para 55% dos homens, os tons pasteis são a escolha das mulheres de beleza natural. As mulheres usam cores da moda como azul e verde em momentos irreverentes para 30% dos entrevistados. Para 64% dos homens, vermelho é sexy  e 38% acreditam que os tons de amarelo e flúor combinam mais no Carnaval. Para os pés, 44% gostam das cores claras, mas 26% acham os vermelhos e cores escuras em geral atraentes. Apenas 8% dos homens entrevistados não gostam das unhas dos pés pintadas.

Saúde                                      

Noventa e dois por cento dos entrevistados – homens e mulheres afirmam ter alicates próprios e 30% deles levam o próprio alicate para as manicures. Setenta por cento sabe como os alicates são higienizados, mas 29% ainda confiam em métodos ineficientes de esterilização como álcool 70% e acetona. E 33% ainda não sabem que a não higienização correta do alicate em contato com o sangue pode transmitir doenças como AIDS, por exemplo.

Notícias Relacionadas