16 de June de 2014 Comportamento

Mudanças no Hábito de Consumo em Beleza e Cuidados Pessoais do consumidor brasileiro


Em pesquisa desenvolvida pela Mintel, Hábitos de Gastos do Consumidor – Brasil, 2013, 42% dos consumidores da classe média e da classe AB compraram mais produtos de higiene pessoal, beleza e  cosméticos que no ano anterior, refletindo o crescimento significativo do setor em 2013 (12%). Este crescimento foi motivado principalmente pelo aumento nas vendas de produtos com maior valor agregado. Os consumidores mais jovens (de 16 a 25 anos) foram os que compraram mais (52%) comparado com somente 27% dos acima de 55 anos.

Em termos de grupos socioeconômicos, não houve uma diferença significativa entre eles, por exemplo, 46% da classe AB compraram mais comparado com 45% da classe C, o que sugere que a "nova classe média" não apenas está comprando mais produtos da categoria, mas também pode estar buscando produtos de higiene pessoal e beleza com maior valor agregado, o que deverá continuar a impulsionar o crescimento da categoria no segundo semestre de 2014. Entretanto, o envelhecimento da população nos próximos cinco anos poderá afetar algumas categorias.

Nos últimos cinco anos (de 2008 a 2012), o setor vem crescendo com ritmo acelerado, principalmente em 2012 quando atingiu 16%. De acordo com o relatório da Mintel Hábitos de Gastos do Consumidor – Brasil, Julho 2013, em 2012, 43% dos brasileiros gastou mais com produtos de beleza e higiene pessoal do que no ano anterior. Em 2013 o setor atingiu um faturamento de R$ 38 bilhões.

De acordo com a agência,  e também com os dados de mercado da Abihpec – Associação Brasileira da Indústria de Higiene, Perfumes e Cosméticos -  desde 2008, todas as categorias do setor vêm apresentando um crescimento positivo. Porém as duas categorias que mais se destacaram foram desodorantes e xampus & condicionadores. O crescimento significativo dessas categorias se deve principalmente ao fato de serem consideradas cada vez mais indispensáveis e acessíveis a uma parcela maior da população.

A categoria de desodorantes, de acordo com a agência, tem uma alta penetração, com 95% da população afirmando o uso do produto. De acordo com a pesquisa, nos últimos anos os consumidores tem interesse por produtos com maior valor agregado, como por exemplo, a migração do consumo de produtos de formato spray (squeeze/pump) para os formatos roll-on e aerossol, um comportamento que demonstra o interesse dos consumidores por produtos de maior valor agregado quando atingem uma condição socioeconômica melhor. Empresas com foco na classe média que tradicionalmente eram fortes no segmento spray (squeeze/pump) têm se expandido e renovado com produtos em formatos roll-on e aerossol a pesquisa aponta.

Já o mercado de xampus & condicionadores apresentou crescimento consistente entre 2008-12  com crescimento de 19.3% em 2012, um dos maiores do setor e de crescimento constante. Os condicionadores (com ou sem enxágue e máscaras de tratamento), e ainda produtos mais sofisticados que ofereçam tratamentos especializados (ex. hidratação, reparadores, anti-frizz) , direcionados ao público feminino,  são os maiores responsáveis por esse resultado, já que as mulheres, que  atualmente dispõem de maior renda, são mais propensas a utilizar esses produtos.  No relatório da Mintel Cuidados com o Cabelo– Brasil, esse segmento é o que mais cresce via sofisticação de consumo, ou seja, produtos com maior valor agregado e com preço geralmente maior.

No relatório Mintel Maquiagem– Brasil,  somente 72% das mulheres acima de 55 anos usam maquiagem, comparado com 92% das mulheres entre 16 e 24 anos. Por esta razão, o desafio para as marcas de maquiagem, de acordo com a agência, será desenvolver produtos que além de cor também ofereçam outros benefícios como propriedades anti-idade para atrair as consumidoras mais maduras.

O crescimento do setor, de acordo com a Mintel, teve um outro fator, que foi a expansão das marcas de cosméticos pelo sistema de franquia, uma forma simples e segura de se abrir um negócio com um investimento financeiro relativamente baixo, aponta. Segundo a ABF (Associação Brasileira de Franchising) em 2012 o país possuía em torno de 104.500 de unidades de franquia, ocupando o sexto lugar no mundo.  

         
Previsão de valor de vendas do mercado de beleza e cuidados pessoais, a preços correntes, 2008-18 -  Fonte: Mintel 
 
A previsão de crescimento do mercado de higiene pessoal, beleza e cosméticos, de acordo com o relatório da Mintel, continuará positiva, com um aumento de 46% entre 2013 e 2018 quando atingirá R$ 83 bilhões.

Segundo o IBGE, a população feminina brasileira deve crescer 4.2% entre 2013-18, mas em termos de faixas etárias o número de mulheres entre 15 e 34 anos deverá diminuir quase 1% e as acima de 55 anos aumentará 21% até 2018.

Notícias Relacionadas