28 de August de 2020 Varejo

Startup brasileira cria tecnologia de delivery de fragrâncias


O sonho de experimentar ou enviar uma fragrância por meio digital acaba de se tornar realidade. A startup brasileira de scent tech Noar – uma spin-off da Ananse - lança no mercado o “cheiro digital”, uma inovação tecnológica que permite experimentar fragrâncias e aromas de uma forma única, intuitiva e sustentável.

A nova tecnologia de delivery de fragrâncias faz com que consumidores possam apreciar os perfumes a partir de aparelhos como celulares e tablets, eliminando a necessidade de testadores e outras formas de amostragem no ponto de venda. Trata-se de uma alternativa que diminui o impacto ambiental da produção de amostras e que possibilita a quem compra, através da venda direta ou e-commerce, conhecer e escolher os seus produtos sem depender das revistas impressas.

De acordo com dados do instituto global de pesquisas Euromonitor, a indústria de perfumaria no mundo movimenta mais de U$ 25 bilhões por ano. No Brasil o segmento é um dos mais bem sucedidos e já chegou a ser o primeiro no mundo.

Entretanto, embora o segmento de fragrâncias represente a maior fatia do mercado nacional de cosméticos, o uso per capita ainda é baixo comparado com outros países, o que indica que há espaço para crescimento nos próximos anos e a nova tecnologia ajudará a impulsionar esse mercado.


Cláudia Galvão CEO da startup Noar


Mercado digital impulsionou nova tecnologia  

A CEO da Noar, Cláudia Galvão, que fornece fragrâncias micro encapsuladas para aplicação nos catálogos de grandes marcas de venda direta pela empresa Ananse, conta que a ideia para a criação da tecnologia surgiu em 2015. A empresária diz que sentia falta de inovação nos métodos de abordagem e demonstração de produtos naquele setor.

“Como estamos vendo no mercado editorial, publicitário e da informação, existe uma clara tendência de passar dos meios físicos, impressos, para os meios digitais. Numa indústria tão multissensorial como a de cosméticos, queríamos que nossos clientes, especialmente os de venda direta, tivessem as ferramentas necessárias para se adaptar ao novo cenário”, diz.

Cláudia salienta que a Noar foi pioneira ao gerar demanda por mudança nos catálogos de cosméticos. A CEO explica que a empresa apresenta diferentes modelos de demonstradores digitais, desde tablets a aparelhos que se conectam com um celular através de bluetooth.
Acionados por meio de um aplicativo, os dispositivos liberam a fragrância usando uma tecnologia de “ar seco”, que não deixa resíduos de perfume seja no ar, no demonstrador ou no usuário. Além de mais higiênico, o cheiro digital permite a experimentação de vários produtos em sequência, sem confundir o cérebro, diz a empresa.

Para concretizar o projeto e atender à demanda de um mercado dessas proporções, faltava um investidor de sólida reputação na indústria. A Noar encontrou um parceiro com mais de 60 anos de tradição.

Parceria - investidor

O Grupo Wheaton, empresa líder nacional e uma das maiores fabricantes de embalagens de vidro para o segmento de perfumaria e cosméticos no mundo, confiou na proposta inovadora da empresa de scent tech e irá investir 30 milhões ao longo dos próximos anos.

Renato Massara Júnior, diretor Comercial e de Marketing da Wheaton, explica que a empresa estava à procura de uma startup ligada ao mercado de perfumaria e cosméticos que trouxesse uma disrupção significativa. Ele diz que os investimentos foram feitos na Noar justamente porque a startup busca inovação e sustentabilidade.

“A solução além de fazer o cliente sentir a fragrância, o que por si só traz segurança para o usuário e contribui para a preservação ambiental, já que elimina a necessidade de impressão de uma quantidade enorme de folhas de papel para os catálogos tradicionais”, diz.

De acordo com Renato, a Wheaton, que tem capital 100% nacional e faturamento anual de cerca de R$ 1 bilhão, registra crescimento acima de 7% por ano e possui cerca de 3,5 mil funcionários, tem internacionalizado ainda mais suas operações, chegando a diversos países. Por isso, um fator que contribuiu para o investimento na Noar foi o alinhamento com esse objetivo, já que a tecnologia criada pela empresa também foi patenteada internacionalmente.
“Para chegar ao mercado internacional a Wheaton leva toda a sua experiência em inovação, tecnologia e atendimento diferenciado e a Noar também vem com esta sinergia disruptiva e de internacionalização”, ressalta Massara.

“MultiScent 20”

O primeiro produto da Noar a ser lançado no mercado será o MultiScent 20, um demonstrador digital de fragrâncias controlado por meio de um aplicativo fácil de usar por ser intuitivo.

O aparelho permite experimentar 20 fragrâncias diferentes por inúmeras vezes, substituindo cada refil após 100 disparos. O acesso ao catálogo é feito por meio do escaneamento do QR Code que fica localizado no MultiScent 20.

“Usar o MultiScent 20 é uma experiência multissensorial. O usuário pode navegar pelo conceito e imagem do produto, pode acessar vídeos e música, além, é claro, de sentir a fragrância em si”, ressalta Cláudia.

E uma vez que o MultiScent 20 trabalha em uma plataforma conectada, é possível coletar dados de navegação, experimentação e compra, aplicando análises de Big Data e Data Science às informações coletadas. Isso vai permitir às empresas conhecer melhor a taxa de conversão das fragrâncias experimentadas, preferências e comportamentos regionais, aspectos relacionados a sazonalidade, entre outros.

Além do MultiScent 20, a Noar possui em seu pipeline de inovação uma série de produtos que utilizam a tecnologia do “cheiro digital”. Alguns foram desenvolvidos para transformar a experimentação de fragrâncias e aromas no ponto de venda, outros, para agregar o sentido do olfato a objetos e utensílios e criar uma experiência multissensorial, outros, ainda, para apoiar ações promocionais e de marketing e torná-las mais efetivas.

Cerca de 52% dos mais de dois bilhões de itens comercializados por venda direta no Brasil no ano passado foi representado por produtos de perfumaria, cosméticos e de cuidados pessoais, de acordo com a Associação Brasileira de Empresas de Venda Direta (ABEVD).

Natura é o primeiro cliente

Por causa da força desse setor - que possui mais de 4 milhões de empreendedores e recebeu ainda mais revendedores por causa da pandemia de Covid-19 (coronavírus) - “MultiScent 20” já chamou a atenção do mercado. O primeiro cliente da startup para aquisição da nova tecnologia para cheiros é a Natura, que conta com 1,2 milhão de consultoras de beleza no Brasil.

Por seu desempenho em vendas diretas e em perfumaria e cosmética, a Natura desde cedo reconheceu a necessidade de se estabelecer no universo digital. Roseli Mello, Head Global de P&D de Natura, afirma que o MultiScent 20 representará a oportunidade de contribuir para a aceleração do processo de transformação digital nos canais da empresa.

“O novo device é uma ferramenta de venda diferente de todos os tipos de amostragem disponíveis. O fato de ser uma experimentação por meio de um cheiro seco que não espalha resíduos no ar, permite que clientes experimentem mais perfumes”, argumenta Roseli. Conectada com a experiência do MultiScent 20, a Natura irá oferecer um questionário que analisará as preferências dos clientes e que permitirá a recomendação personalizada de perfumes.

A executiva explica que o MultiScent 20 deverá chegar ao varejo e para as consultoras de beleza até o final do ano, no Brasil e América Latina. No contexto de isolamento social, outro fator de relevância é a segurança que o aparelho oferecerá para os consumidores. “O device é uma oportunidade segura de experimentação de fragrâncias, pois pode ser feita com o uso de máscaras de proteção”.

Roseli destaca ainda a importância de a tecnologia ter surgido a partir de uma inovação de uma startup brasileira que possui liderança feminina. E para a CEO da Noar, Cláudia Galvão, a parceria traz muita credibilidade para a nova tecnologia.

“Apresentar a tecnologia do cheiro digital para o mercado com a Natura, que é líder do segmento, significa uma chancela muito importante e valida a importância que essa inovação tem ao apresentar soluções para o setor”, finaliza, Cláudia Galvão.  

Notícias Relacionadas