11 de September de 2020 Profissionais

Vanessa Machado, Gerente de Cuidados Pessoais O Boticário: “Normalmente, as dificuldades são mais em termos de matérias-primas ... o que nos leva à importação.”


1 – Como O Boticário viabilizou uma linha inteiramente orgânica e vegana em meio a uma linha de produção de todas as categorias e a uma pandemia, onde os fornecedores também passam por grandes dificuldades em termos de matérias primas, fechamento das instalações, pessoal, entre outras?

Com a pandemia, fizemos um replanejamento sobre produção e lançamentos para atender ao que o momento pedia, tanto do ponto de vista de produtos, quanto de comunicação.  Toda a estrutura da empresa foi redesenhada para viabilizar a operação dentro dos novos cenários de mercado e necessidades do consumidor, inclusive com ajustes diante da disponibilidade de fornecedores e insumos, como embalagens e matérias-primas. E, entendendo a crescente demanda e exigência do consumidor para produtos orgânicos, decidimos que seria a hora de lançá-lo, mesmo com os muitos desafios do cenário atual. Nossa fábrica, em São José dos Pinhais, passou por algumas mudanças, sim. Por orientação da certificadora, as matérias-primas orgânicas precisam ficar em local separado das demais. Além disso, a pesagem delas é feita em um ambiente exclusivo. Na área de fabricação, a higienização de reatores e utensílios precisa ser específica para esse tipo de produto, conforme aprovado pelo referencial Cosmos. Apenas alguns produtos específicos para limpeza são aprovados para uso pela certificadora, caso de alguns saneantes e detergentes. Todas essas medidas precisaram ser implementadas para que não haja nenhum tipo de contaminação cruzada. Podemos usar a mesma linha de produção, porém antes e após a fabricação de um item certificado orgânico, a linha deve passar pelo processo de higienização com o detergente e sanitizante permitidos pela certificação.   


2 – De quando é esse projeto? Por que foi decidido que o lançamento seria neste momento?

O projeto começou em 2018 e passou por diversas etapas, entre elas, a certificação pela Ecocert, que foi bem rigorosa e exigiu a adaptação da fábrica em São José dos Pinhais, além de toda a cadeia produtiva, como a importação dos insumos e a elaboração do produto e todas as suas funcionalidades.
Os consumidores estão cada vez mais conscientes e em busca de produtos que possam fazer a diferença para o meio-ambiente. Assim, investimos no maior programa de logística reversa em pontos de coleta de embalagens, que é o Boti Recicla, e cada vez mais em linhas de produtos veganos. Conquistamos o selo Beauty Without Bunnies da certificadora People for the Ethical Treatment of Animals (PETA), já que o grupo não realiza testes em animais há mais de 20 anos. Então, fazia sentido dar mais este passo na história da marca diante dos nossos valores e pilares de atuação.


3 – O Boticário já estava transformando algumas de suas linhas em veganas e agora essa linha certificada. A ideia tem a ver com as novas demandas dos consumidores tornando todas as linhas corporais em veganas e certificadas?

Estamos conscientes de que o consumidor está cada vez mais exigente, especialmente quando o assunto é sustentabilidade e responsabilidade social.
Atualmente, a marca conta com itens veganos em todas as suas categorias. Começou esse moviemnto em setembro de 2019, com sua primeira linha inteiramente vegana de cuidados pessoais, Nativa SPA Quinoa. Nosso e-commerce conta com uma subcategoria “Veganos” onde o consumidor encontra todos os produtos.
Este ano, recebemos o selo da Ecocert, certificando a produção de cosméticos orgânicos pela marca. E, em outubro, lançaremos a linha Nativa SPA Orgânico, a primeira de uma grande indústria de cosméticos, no qual os produtos da linha terão ingredientes naturais, orgânicos, veganos e livres de testes em animais. Sabemos que é um pequeno passo, mas muito importante para toda a cadeia produtiva e mercado de beleza. Definitivamente, queremos evoluir a cada lançamento.


4 – Há estudos para tornar também as linhas de maquiagem em veganas e certificadas?

Já temos alguns itens veganos em nossa categoria de maquiagem nas linhas Intense e Make B. Estamos trabalhando e buscando soluções com a área de pesquisa e desenvolvimento para aumentar o número de produtos com essas características no portfólio, sem perder a performance, em todas as categorias, não apenas maquiagem. Queremos evoluir a cada lançamento e, por isso, temos muitas estratégias e passos traçados para aumentar consideravelmente essa porcentagem.                               


5 – Há muitas mulheres que têm pele sensível e que buscam tanto maquiagem, quanto produtos para o rosto, como limpadores, tônicos e hidratantes mais naturais, eventualmente orgânicos. Qual a possibilidade de atender essas demandas?


Muitos consumidores buscam esses diferenciais nos cosméticos. Esse foi um dos motivos pelo qual em 2019 passamos a identificar todos os produtos veganos, não só na loja física, como também no e-commerce.
Passamos então a dar início a um movimento, voltado principalmente para um consumidor que já consome produtos orgânicos, mas também para aquele que ainda não conhece tais produtos. Nada impede entretanto, que no futuro, a linha de orgânicos possa incluir outras categorias da marca.


6 - As novas tecnologias e ativos para produtos para o rosto permitem um efeito mais efetivo. Ao torná-los orgânicos, é possível que alguns produtos percam em efetividade?

Nosso objetivo é jamais perder a efetividade dos produtos. Substituir a fonte de obtenção de matérias-primas de animal para vegetal, mineral ou sintética não afeta em nada o desempenho dos produtos em estabilidade, segurança ou eficácia. Continuam sendo as mesmas moléculas, apenas as fontes de obtenção é que são diferentes. Para garantir a efetividade da linha Nativa SPA Orgânico, fizemos testes de performance até chegarmos ao resultado ideal. Para se ter uma ideia, foram 12 versões do xampu e 10 da loção.


7 - Que tipo de produtos a sra. diria que no momento são mais difíceis de se tornarem orgânicos? Ou veganos?


Já que a fonte de obtenção de matérias-primas vegetal, mineral ou sintética não afeta em nada o desempenho dos produtos, o que muda apenas é a fonte de obtenção delas, como o uso de glicerol somente de origem vegetal em nossos produtos, estamos sempre nos preparando e estudando o que conseguimos tornar orgânico ou vegano.

Normalmente, as dificuldades são mais em termos de matérias-primas, porque alguns produtores brasileiros não têm possibilidade de atender à nossa demanda, o que nos leva à importação destes insumos. Para a linha Nativa SPA Orgânico, por exemplo, os produtores locais não podiam atender a algumas especificidades necessárias, então tivemos que buscar fornecedores fora do Brasil.



8 – Os produtos orgânicos por exemplo poderiam entregar seus ativos por meio de nanotecnologia e assim serem eventualmente mais efetivos?

Pela certificadora Ecocert, para a produção de produtos orgânicos, não há certificação de cosmético orgânico para fórmulas com nanotecnologia, já que para se enquadrar em nano, as matérias-primas passam por processos não permitidos pela certificadora que prioriza ingredientes in natura, sem modificações.


9 – Há tecnologias específicas para a conservação/durabilidade de produtos orgânicos? Quais e, eles poderiam alterar a condição de cosmético orgânico?

Nossa proposta sempre foi a de entregar o produto sem que ele perca sua eficácia e isso envolve a conservação. A linha Nativa SPA Orgânico tem validade de 24 meses, por conta da estrutura das fórmulas como um todo - mais ingredientes naturais e orgânicos e menos ingredientes químicos, o que impacta em um prazo de validade menor do que a de um produto convencional.


10 – Poderíamos dizer, fazendo uma analogia com as máscaras caseiras de frutas e legumes que se faziam antigamente para o rosto, que os cosméticos orgânicos são esses produtos que se faziam em casa, mas industrializados?

A nova linha de Nativa SPA Orgânico possui ingredientes naturais como tais máscaras, entretanto, o que torna um cosmético orgânico é o padrão das fórmulas, desenvolvidas com ingredientes naturais e vegetais, que passam por um processo muito bem controlado por órgãos certificadores de rastreabilidade - da maneira de como é feito o plantio, a colheita, ente outros processos, até a maneira como o produto chega ao consumidor. Lembrando que a linha Nativa SPA Orgânico contém ingredientes que são biomiméticos, ou seja, compostos similares aos que possuímos naturalmente em nosso corpo, o que leva a uma afinidade maior com o nosso organismo, estimulando, por exemplo, a hidratação natural da pele e dos cabelos.   

Notícias Relacionadas