15 de February de 2021 Eventos online

Amanda Gore, criadora da Fórmula da Alegria: Quando focamos no outro e ajudamos as pessoas a se sentirem bem sobre elas mesmas, elas nos acham formidáveis e, portanto, querem fazer negócio conosco!


Amanda Gore, criadora da Fórmula da Alegria nos dá aqui nesta entrevista uma visão de como a Fórmula da Alegria pode funcionar na prática.



1 – Em poucas palavras, como a fórmula da Alegria pode interferir no resultado financeiro ou em vantagem competitiva?

Não é difícil perceber que pessoas alegres trabalham melhor. Elas colaboram melhor, têm mais energia, estão mais motivadas e querem trabalhar! Pense em você por um minuto. Quando você se apaixona pela primeira vez, ou a vida está indo muito bem, você ama o trabalho que está fazendo e as pessoas com quem trabalha ... Como você atua? Que tipo de colega e membro da equipe você é? Como vão suas vendas? Qual é a sua produtividade? Somos todos humanos! E os humanos funcionam melhor em todos os sentidos quando estamos felizes ou cheios de alegria ou pelo menos contentes. Locais de trabalho cheios de medo são os que têm menos probabilidade de sucesso - especialmente a longo prazo. Se você lida com outros humanos, as pessoas escolherão uma loja, vendedor, gerente ou qualquer ambiente onde sintam a energia da alegria. Se pudesse escolher entre fazer compras em uma loja na qual se sinta bem ou em que sinta pressão ou desconforto, qual você escolheria?

2 – Estes resultados provêm de alguma pesquisa? – “A alegria no trabalho aumenta as vendas em 37%, aumenta a produtividade em 31%, reduz os erros em 18% e aumenta as chances de promoção em 40%”.

De um livro e pesquisa de Shawn Achor - o livro se chama The Happiness Advantage, eu acredito que foi um trabalho que ele fez enquanto estava em Harvard.

3 – A grande cultura de equipe a que você se refere exclui a competitividade interna, já que é baseada em colaboração e confiança. Como ela funcionaria para a competitividade externa?

Se a equipe está sendo bem liderada, se há colaboração e coerência dentro da organização, se os líderes incentivam e inspiram a equipe a alcançar objetivos conjuntos, para que todos deem o seu melhor e, ainda, os dirige a trabalhar conjuntamente para vencer a concorrência… sim, a cultura de equipe é um trabalho para se alcançar objetivos comuns.
Em vendas, por exemplo, eu diria que os líderes precisam encorajar todos a darem o melhor de si e não encorajar as pessoas a competirem entre si. Em vez disso, incitá-las a competirem consigo mesmas, com seus próprios resultados para que vejam do que realmente são capazes.

4 – Como as pessoas, sob as diretrizes da Fórmula da Alegria, podem interagir para mostrar competência e transmitir confiabilidade à seus clientes?

Quando amamos, o que fazemos, isso brilha em nós. Quando estamos alegres no trabalho, os outros percebem. Quando estamos motivados e entusiasmados com nosso trabalho, emanamos esse entusiasmo e isso é contagiante. Contanto que você siga seu entusiasmo com a ação prometida, as pessoas irão considerá-lo confiável e competente. A confiabilidade só pode ser demonstrada se você fizer o que diz que fará. Seu produto deve cumprir o que você promete ... e assim por diante. A competência é aprimorada quando somos apaixonados por nosso produto ou serviço, porque queremos aprender tudo o que podemos e compartilhar nossa paixão.

5 – Como se dá a comunicação pela alegria? Cite um exemplo da magia que torna o conteúdo memorável, que inspira e pode divertir.

Os valores da empresa, se incluírem a Fórmula da Alegria, podem trazer alegria aos clientes e membros de sua equipe. Ou sua comunicação pode ser lúdica e divertida - a maioria das pessoas, particularmente neste ambiente de pandemia global, deseja mais alegria, mais leveza, alívio e diversão. Então comunicar ou anunciar se puder entregar algo que traga alegria será sempre vantajoso.

6 - Por que a 'ocupação' é a nova 'doença' que afeta quase todas as pessoas. Como ela pode destruir a clareza mental e a saúde física?

Constantemente contar a si mesmo a história de que você está sempre sobrecarregado, afetará todos os aspectos de sua vida. Você perderá a clareza e sua saúde mental e física serão afetadas. Michael Gerber, que escreveu o livro The E Myth, diz que a maioria dos empreendedores fracassa porque está muito ocupado trabalhando EM seus negócios e não NOS seus negócios. Acredito que fazemos isso em nossas vidas pessoais também.
Reserve algum tempo para diminuir o ritmo e ouvir o que você está dizendo a si mesmo - e pare de reforçar sua sensação de ansiedade e opressão.
Um livro chamado The Upside of Stress, de Kelly McGonigal, compartilha a pesquisa que diz que o estresse não nos deixa doentes. São nossas crenças sobre o estresse que nos deixam doentes - ou não!
Quais são as suas crenças sobre o que está acontecendo em sua vida agora. Você está realmente fazendo muito ? Pergunte-se o que está causando isso. E então decida se você deseja fazer uma mudança - mesmo que seja uma mudança no que você diz a si mesmo sobre o que está acontecendo - que é extraordinariamente poderosa.

7 – Como seus sentimentos interferem na maneira como você faz os outros se sentirem?

Quando nos sentimos nós mesmos, isso transforma qualquer interação que temos com os outros. Quando nos sentimos bem sobre nós mesmos, quando não somos defensivos, julgamos ou não oferecemos ofensa, quando somos confiantes e não estamos preocupados com o que outras pessoas pensam, significa que podemos ser autênticos e focar em outra coisa, não em proteger a nós mesmos!
Quando focamos no outro e ajudamos as pessoas a se sentirem bem sobre elas mesmas, elas nos acham formidáveis e, portanto, querem fazer negócio conosco! Gostam de estar conosco, confiam em nós e todos estes elementos são críticos para o sucesso em vendas diretas!


                                                                                                                       ****************************



Amanda Gore é uma palestrante internacional de grande energia, que aposta na diversão como fator motivacional, no envolvimento das pessoas através da Fórmula da Alegria e aborda entre outros temas a vantagem competitiva para resultados financeiros.

Seu foco é a diversão e novas ideias para que as empresas se abram a novos insights sobre suas interações com suas equipes de negócios, clientes - e seus diálogos internos. Seu material de apoio são a neurociência, epigenética, inteligência emocional e psicologia positiva como forma de reduzir o impacto do estresse e também como mudar as reações a ele.
De acordo com Amanda, a ALEGRIA é o melhor combustível para os negócios, que muda as culturas e o desempenho. A alegria no trabalho aumenta as vendas em 37%, aumenta a produtividade em 31%, reduz os erros em 18% e aumenta as chances de promoção em 40%”, aponta.
Ela prega que o nosso cérebro pode ser religado para a alegria como forma de evitar que o estresse mate. “Tudo nos negócios tem a ver com sentimentos. Confiança, empatia, confiança, cooperação, colaboração, liderança, respostas à mudança - esses são apenas alguns dos elementos (sentimentos) que criam uma grande cultura e equipe”, disse ela em evento brasileiro recente.
Esses elementos, segundo ela, mudam a maneira como as pessoas interagem com todas as outras pessoas - colegas, clientes e familiares.
Alguns conceitos defendidos por Amanda Gore e que estão em seu site:

NEUROCIÊNCIA DE VENDAS

Como desenvolver uma mentalidade de compradores
“As pessoas não mudaram fundamentalmente por mil anos, mas a ciência mudou. O 'sistema operacional' de um humano não é baseado em binário! É mais como computação quântica e funciona com base em sentimentos”, reza o novo pensamento.
“A transformação dos resultados de vendas começa com a transformação de nosso pensamento, percepções, ações e escolhas. Conhecer maneiras precisas de interagir com outras pessoas para provar que somos competentes, confiáveis e seguros (um sentimento) é necessário para um desempenho superior,” disse Amanda em evento recente.

A EQUIPE ALEGRE

Como a mentalidade de crescimento, engaja, motiva e muda culturas
A ciência nos mostra que não temos consciência de nosso pensamento e crenças em 95-99% do nosso tempo. Apenas 5% do tempo estamos presentes e realmente conscientes do que se passa dentro de nós. E o que estamos pensando, aponta, literalmente cria nossa vida, desempenho e relacionamentos.
“As crenças, as histórias que contamos sobre nós mesmos, nossos colegas, clientes, chefes e a empresa determinam nossos sentimentos e comportamento. Nossas crenças controlam nossa comunicação não verbal, que afeta todos os relacionamentos. Nossas crenças determinam a cultura que criamos ao nosso redor e as escolhas inconscientes que fazemos a cada momento”, indica.

A FÓRMULA DA ALEGRIA

Novas pesquisas mostram que, nossas percepções governam nossa realidade e, em parte, criam nosso ambiente. A maneira como pensamos sobre o equilíbrio da vida também determina o impacto fisiológico e psicológico.
A criadora da Joy Formula, ou Fórmula da Alegria, explica que ela é uma maneira simples e fácil de revisar aspectos importantes de nossas vidas e tomar consciência dos desequilíbrios que nos permitem fazer um plano para melhorar esse equilíbrio - ou pelo menos, nos fazer sentir que temos um senso de controle sobre nossa vida!
Ela diz que 'ocupação' é a nova 'doença' que afeta quase todas as pessoas. Apressar-se e ter a percepção (e realidade) de 'muito a fazer' pode destruir a clareza mental e a saúde física. Compreender as 3 possíveis respostas ao estresse e canalizá-las da maneira certa muda tudo: Como nos sentimos, como respondemos a esses eventos e como os outros respondem ou reagem.
Outra das abordagens de Amanda é The Life Pizza, a pizza da vida, que é uma maneira simples e fácil de revisar aspectos importantes de nossas vidas e tomar consciência dos desequilíbrios em que áreas são mais importantes para nós e em quais áreas c mais atenção - o que nos permite fazer um plano para melhorar esse equilíbrio. É também a forma de introduzir o conceito de resiliência e várias 'estratégias de resiliência'.







A pizza da vida: revisão de aspectos importantes de nossas vidas e conscientização das áreas de desequilíbrios.



A ALEGRIA DAS MENTALIDADES - 3 habilidades essenciais para a mudança

Você não é sua mentalidade - mas sua mentalidade cria sua vida. Compreender as mentalidades e a atenção plena literalmente muda seu cérebro e melhora o desempenho, a liderança, a tomada de decisões e a reatividade; aumentam a energia, o bem-estar e deixam você mais feliz.
Estar atento é 'acordar' - se tornar mais consciente - e viver mais conscientemente - que é um dos temas centrais de Amanda. “A maioria de nós está seguindo hábitos e padrões de pensamento de nosso passado”, aponta.
“ A diferença entre uma mentalidade construtiva e uma fixa é a diferença entre uma vida alegre e uma vida estressada e infeliz; entre uma equipe alegre e uma disfuncional; uma grande cultura ou uma cultura tóxica”, diz.
Amanda propõe que se observe o nosso 'estado mental' de hoje, durante o dia todo - com o objetivo em mente de se tornar consciente sempre que Você não estiver presente, como guiar um carro automaticamente até em casa. “ Toda vez que você está preso a um padrão de pensamento do passado PARE - OBSERVE - PERGUNTE para se tornar consciente novamente. Seja aquele que está ciente de sua mentalidade”, propõe.

COMO APRESENTAR, influenciar e se conectar com impacto

Para muitas pessoas, falar em público é o pior dos mundos. Quando falamos - há 2 níveis a serem considerados. Um é o conteúdo, que deve ser relevante, apropriado e interessante. O outro - a mágica - é o processo. O processo é a forma como as mensagens são entregues e é a 'diferença que faz a diferença'.
É a magia que torna o conteúdo memorável; cria a experiência e o ambiente que permitem às pessoas fazer as mudanças que desejam. Isso inspira e pode divertir.

GERENCIANDO A MUDANÇA

Escolhendo a oportunidade ao invés do medo
Mudança e estresse andam de mãos dadas. De acordo com a palestrante, nossos cérebros precisam mudar para permanecer vibrantes e alertas. A mudança , entre outras coisas, pode ser saudada como uma oportunidade de crescer e se desenvolver.

A NEUROCIÊNCIA DA LIDERANÇA

“Podemos pensar que o sistema nervoso é apenas o cérebro - mas o coração e o estômago têm milhões de células 'cerebrais' (neurônios) - então você 'pensa' e sente com seu coração (e intestinos também). Toda liderança - venda ou atendimento ao cliente, trabalho em equipe ou cultura - é baseada em sentimentos. Como você se sente ... e como você faz os outros se sentirem.      

Notícias Relacionadas