29 de January de 2021 Comércio

Balança comercial do setor de HPPC registra superávit de US$23.4 milhões em 2020


Mesmo diante de uma conjuntura econômica desfavorável em 2020 e de inúmeros desafios decorrentes da COVID-19, a balança comercial do setor brasileiro de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos registrou superávit de US$ 23.4 milhões em 2020, revertendo o valor deficitário registrado em 2019, de US$ - 105.9 milhões. Os dados foram divulgados pelo Ministério da Economia.

De acordo com a ABIHPEC – Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos, o saldo positivo da balança comercial – após 10 anos com déficit - é resultado de um volume de US$ 609,3 milhões em exportações, um aumento de 1,9% em relação ao ano anterior. Os destinos somaram 174 países.

“Em tempos tão difíceis, um dos desafios da ABIHPEC em 2020 foi a busca contínua por ações de facilitação de comércio internacional a fim de tornar o produto nacional mais competitivo no mercado internacional,” iz João Carlos Basilio, presidente-executivo da ABIHPEC.

Em dezembro de 2020, o saldo da Balança Comercial do setor de HPPC apresentou superávit de US$ 10.0 milhões, ampliando o saldo apurado em dezembro de 2019, que estava superavitário em US$ 6.3 milhões. Neste mesmo período, as exportações somaram US$ 54.6 milhões, apresentando uma alta de 4,7% em relação ao mesmo mês do ano anterior. Já os importações totalizaram US$ 44.6 milhões, registando uma queda 2,6% na comparação com o mesmo mês de 2019.

Como nos meses anteriores, sabonetes, produtos para cabelos e desodorantes foram os itens mais exportados em dezembro de 2020, com totais de US$12,8 milhões, US$9.7 milhões e US$ 6,5 milhões, respectivamente, na comparação com o mesmo período de 2019. Argentina, México, Chile, Colômbia e Paraguai estão entre os principais países de destino das exportações brasileiras de HPPC.

Já entre os itens mais importados, as principais categorias foram: cremes para pele, protetores solares e bronzeadores (US$ 8.5 milhões); produtos de higiene oral (US$ 7.9 milhões) e fragrâncias (US$3.8 milhões).   

Notícias Relacionadas