11 de May de 2021 Internacional

Ranking aponta Natura como marca mais forte do mundo no setor


A Brand Finance divulgou seu ranking anual com as marcas de cosméticos mais valiosas do mundo. Segundo a consultoria, a liderança é da L'Oréal, que mantém o título de marca de cosméticos mais valiosa do mundo, com valor de marca de US$ 10,2 milhões - apesar de registrar uma perda de valor de marca de 13%. A marca de crescimento mais rápido é a Yves Rocher , com um impressionante aumento de 71% em 2020. Os novos participantes Fresh (valor da marca US $ 1,1 bilhão) e The Body Shop (valor da marca US $ 725 milhões) são a segunda e a terceira marcas de crescimento mais rápido, com alta de 53% e 22%, respectivamente.
O estudo ainda apontou a brasileira Natura como a marca "mais forte" do mundo no setor, em uma análise que avalia fatores como investimento em marketing, familiaridade com o cliente, satisfação da equipe e reputação corporativa. A Natura alcançou 86,7 pontos (em 100) no Índice de Força da Marca (BSI) da consultoria, com uma classificação 'AAA'.
De acordo com a pesquisa Global Brand Equity Monitor da Brand Finance, a Natura é percebida como uma marca extremamente forte no Brasil e na América do Sul e, embora a marca seja menos conhecida fora da região, sua proposta continua sendo favorecida internacionalmente graças ao aumento da popularidade das marcas naturais.

A marca foi amplamente capaz de se proteger do impacto negativo da pandemia devido ao risco diversificado de suas operações de negócios, que abrangem uma ampla variedade de produtos de banho, fragrância, corpo e maquiagem.

Além disso, a marca é sustentada pelo sucesso de sua controladora Natura & Co - dona da Aesop, The Body Shop e Avon - que pontua bem em medidas de marca corporativa, incluindo governança, sustentabilidade e apelo dos funcionários.
O valor total das 50 marcas de cosméticos mais valiosas do mundo diminuiu 9%, caindo de US $ 137,5 bilhões em 2020 para US $ 124,8 bilhões em 2021, principalmente em decorrência da pandemia de Covid-19 - veja a lista com as 10 primeiras abaixo.
Como um setor grande e diversificado, tem havido fortunas mistas para as marcas de cosméticos, com os cosméticos coloridos sendo o segmento mais impactado negativamente, registrando uma queda no valor médio da marca de 15%. Marcas de marketing multinível - incluindo Avon (valor da marca caiu 24% para US $ 772 milhões) e Oriflame (queda de 1% para US $ 802 milhões) - enfrentaram uma queda de 12% no valor da marca, em média. As maiores marcas do setor em cuidados com os cabelos, lâminas de barbear e fragrâncias também foram duramente atingidas, com uma queda média no valor da marca de 10%.
De acordo com o Global Brand Equity Monitor da Brand Finance, o setor de cosméticos tem a maior reputação de todos os setores globalmente - igualado apenas pelo setor de alimentos. A forte reputação do setor garante, portanto, que as as marcas de cosméticos se manterão em boa posição para recuperação no próximo ano.

"A pandemia, sem dúvida, forçou mudanças no setor de cosméticos, principalmente por causa da mudança no estilo de vida e da incerteza financeira da população, além do rápido aumento da digitalização e do avanço do comércio eletrônico global. Entretanto, as marcas que mostraram capacidade de se adaptar vão se recuperar da turbulência do ano passado", afirmou Annie Brown, associada da Brand Finance, em comunicado.
Confira a lista:

1 - L'Oréal (França) - US$10,222 bilhões
2 - Gillette (Estados Unidos) - US$ 7,550 bilhões
3 - Nivea (Alemanha) - US$ 6,192 bilhões
4 - Guerlain (França) - US$ 5,691 bilhões
5 - Estée Lauder (Estados Unidos) - US$ 5,687 bilhões
6 – Pantene (Estados Unidos) - US$ 5,189 bilhões
7 - Dove (Reino Unido) - US$ 5,094 bilhões
8 - Clinique (Estados Unidos) - US$ 5,005 bilhões
9 - Garnier (França) - US$ 4,094 bilhões
10 - Head & Shoulders (Estados Unidos) - US$ 4,013 bilhões... 

Notícias Relacionadas